segunda-feira, 23 de setembro de 2013



~


As palavras soavam em meus ouvidos como uma faca que parecia perfurar o meu peito. Eu já tinha prometido para mim mesmo não chorar. Chorar só ia aumentar a ferida que um dia já tinha cicatrizado. Mas de repente a ferida se abre de vez e o meu coração se desfaz em pedaços quando ouço: - Eu não quero mais, eu cansei. Cansei de ser enganado, cansei de suas mentiras. Não dá mais. Eu me via em um beco sem saída, mas ou menos assim, ali está o beco, tudo está escuro e tem apenas um reflexo do luar sobre você.
Não há mais palavras, não há mais planos, não há mais nada. Juro que me desesperei, mas, não demonstrei. Criei-me sendo forte, para que ninguém nunca pudesse me derrubar. Fiquei neutro, fiquei sem cor. - É isso mesmo que você deseja? Disse olhando em seus olhos. Logo veio um “sim” de confirmação. E eu, apenas respirei bem fundo e decidir fazer a sua vontade. Minha cabeça rodava, o coração estava a mil por hora, malmente conseguia respirar. Foi quando eu percebi que eu precisava mesmo de um tempo para mim, para minhas coisas, para que minha alma fosse limpa. E decidir seguir com a sua decisão. Decidir ir embora!

(Parte do primeiro capítulo do meu livro ainda sem nome)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.